Estrabismo

O que é?

O Estrabismo é uma patologia oftalmológica que consiste no desalinhamento dos olhos. A maioria dos casos tem início na infância, mas também pode ocorrer durante a vida adulta. Observa-se que pacientes estrábicos podem ter problemas psicológicos, sociais e econômicos relacionados ao desvio ocular. É importante tratar o problema, até mesmo porque pode ter impactos sobre a auto-estima e relacionamento social.Se você ou seu filho podem ter este problema ocular, converse com um médico oftalmologista para avaliar as melhores possibilidades de tratamento.

Sintomas

Com a visão binocular normal, ambos os olhos fixam o mesmo ponto. A porção visual do cérebro funde as duas imagens numa única. Já quando um dos olhos desvia, duas diferentes imagens são enviadas ao cérebro. Na criança especialmente, o cérebro aprende a ignorar, ou seja, não vê a imagem do olho desviado e passa a ver somente a imagem do olho não desviado. Isso leva à perda de profundidade e da visão binocular.Por outro lado, nos adultos que desenvolvem estrabismo, frequentemente ocorre visão dupla. Nos adultos, o cérebro já foi treinado a receber as imagens de ambos os olhos e não ignorar uma delas, então, é mais comum apresentar visão dupla

Causas e Tipos:

  • Esotropia

    Esodesvios – chamado de esotropia, é o estrabismo convergente. Ocorre quando o ponto de fixação de um ou ambos os olhos estão voltados para dentro, o desvio está em direção ao nariz.

  • Exotropia

    Exodesvios – chamado de exotropia, é o estrabismo divergente. Decorre quando o ponto de fixação de um ou ambos os olhos estão voltados para as laterais.

  • Hiperdesvio

    Hiperdesvio – é o estrabismo vertical. Advém quando o ponto de fixação de um ou ambos os olhos estão voltados para cima (chamado de hipertrofia) ou para baixo (chamado de hipotrofia).

Tratamento

Estrabismo não desaparece com o crescimento, mas pseudoestrabismo, sim. Quanto mais precoce o exame oftalmológico e o tratamento, melhor será o resultado visual. O tratamento não é sempre cirúrgico, podendo ser feito através de colírios, óculos e exercícios.Se a cirurgia está indicada, quanto mais cedo for feita, melhor a chance de a criança desenvolver visão binocular normal.Quando se trata de correção apenas estética na criança e adulto ou cirurgia funcional no adulto, o procedimento pode ser feito em qualquer idade.

  • Alguns indivíduos podem apresentar uma combinação de vários desvios, horizontal e vertical por exemplo.

  • A fim de evitar outros problemas visuais, como a ambliopia, o tratamento do estrabismo deve ser iniciado prematuramente. Além de proporcionar uma maior comodidade e conforto visual, melhora a estética do indivíduo.

  • Pode ser feita a utilização de óculos com o objetivo de realizar alterações convergências, com lentes positivas para a redução da acomodação, nos casos de esodesvios e exodesvios.

  • Somente o médico especialista pode indicar qual é o tratamento adequado para cada situação de estrabismo.

Cirurgia

A correção do desalinhamento ocular é realizada por hospitais que fazem cirurgia de estrabismo, através de diversas técnicas cirúrgicas em que se busca conseguir um novo equilíbrio dos músculos oculares.

A cirurgia corretiva do estrabismo visa melhorar o alinhamento dos olhos, não resultando em melhora da visão.

Eliminada a ambliopia passa-se a tratar do desvio dos olhos. Em alguns casos, isso se consegue apenas com o uso de óculos, mas, na grande maioria das vezes, o tratamento é cirúrgico.

Para cada tipo de estrabismo existe um ou mais tipos de tratamentos possíveis e cabe ao oftalmologista escolher a melhor indicação para cada paciente. Muito importante para esta decisão é a avaliação pré-operatória do paciente, que geralmente inclui uma avaliação oftalmológica completa e um detalhado estudo da motilidade ocular (movimento dos olhos), realizada por um oftalmologista treinado para o teste ortóptico.

A idade ideal de cirurgia para os que nascem estrábicos é entre os seis e dezoito meses, para tentar se conseguir alguma forma de fusão das imagens dos dois olhos.

A internação se dá, normalmente, no dia da operação e exceto em casos especiais, o paciente não deve se alimentar e nem tomar água no mesmo dia.

A cirurgia pode ser realizada com a aplicação de anestesia local ou geral. Com anestesia local, o paciente retorna ao quarto com um curativo sobre o olho operado. Não há utilização de anestesia tópica.

Opta-se pela anestesia geral principalmente em cirurgias maiores e as realizadas em crianças, que podem ter dificuldade para colaborar com o procedimento caso estejam acordadas. Quando realizado procedimento com anestesia geral, é possível sair da cirurgia sem curativo.

A cirurgia deve ser realizada sempre em Centro Cirúrgico e este deve possuir toda estrutura para detectar rapidamente e tratar qualquer complicação que possa aparecer durante o procedimento. Tomando-se estes cuidados podemos dizer que se trata de um procedimento muito seguro, com baixos riscos oculares.

A cirurgia deve ser realizada sempre em Centro Cirúrgico e este deve possuir toda estrutura para detectar rapidamente e tratar qualquer complicação que possa aparecer durante o procedimento. Tomando-se estes cuidados podemos dizer que se trata de um procedimento muito seguro, com baixos riscos oculares.

A cirurgia não é feita sobre o olho – este é perfeito. O problema está nos músculos que o movimentam, como as rédeas de uma carroça. Na cirurgia do estrabismo trabalha-se sobre os músculos.

A operação é feita através de micro incisões que permitem a exposição dos músculos extra-oculares, responsáveis pela movimentação ocular. No procedimento o cirurgião altera o equilíbrio de força destes músculos, principalmente com enfraquecimento, fortalecimento e mudanças na posição de ação.

Não, a cirurgia de estrabismo é feita com utilização de minúsculos instrumentos como pinças, tesouras, compassos, ganchos, entre outros.

Sim. Geralmente se utilizam pontos absorvíveis, que não precisam ser retirados no pós-operatório.

A cirurgia pode ser realizada em um ou ambos os olhos, dependendo do tipo de estrabismo que paciente apresenta.

Algumas vezes a cirurgia pode ser realizada com a utilização de aplicação de toxina botulínica A (Botox®), o que torna o procedimento muito mais rápido e com recuperação muito mais tranquila. Porém, para a maioria dos casos a cirurgia tradicional ainda é a mais indicada pelos resultados mais previsíveis.

A internação hospitalar é de poucas horas, geralmente com alta no mesmo dia, e a recuperação é rápida.

Dores moderadas são habituais e costumam ser controladas com anti-inflamatórios e analgésicos tomados por via oral.

Os olhos ficam vermelhos inicialmente, mas isso não impede as atividades normais do paciente, exceto a frequência a piscina ou mar por alguns dias.

A presença de lágrima róseo-sanguinolenta pode chamar atenção após a cirurgia, mas esta característica desaparece dentro de 1 a 2 dias e está presente na maioria dos pacientes operados.

Alguns pacientes podem perceber visão dupla (diplopia) nos primeiros dias de pós operatório, mas isto costuma desaparecer na primeira semana.

Através das técnicas é possível realizar grandes intervenções cirúrgicas através de pequenas incisões, que reduzem as complicações e não deixam cicatrizes.

É importante que paciente faça repouso relativo nos primeiros dias após a cirurgia, principalmente evitando pegar pesos pelo risco de se soltarem os pontos. Cuidado também deve ser tomado com limpeza das mãos e ambientes para se evitar risco de infecções.

Visare Hospital de Olhos possui uma gama de exames oftalmológicos, para oferecer diagnóstico e prevenção aos seus pacientes.
Rolar para cima